quarta-feira, 7 de julho de 2010

Uma leitura moderna da obra o “artista da fome”, de Franz Kafka.

Um artista da fome é um conto, em formato de novela, de Franz Kafka, originariamente publicado em 1922, e que tem em seu enredo a figura de um jejuador profissional enclausurado numa jaula. Isto à época era visto como um grande espetáculo pela sociedade, que inclusive pagava ingressos, e sentava-se desde a manhã até à noite diante das grades da jaula. Entretanto, a mesma depois de um tempo, naturalmente, perdiam o interesse, e esqueciam dos jejuadores.
A história começa com o jejuador sendo ovacionado em praça pública. Toda a família se reunia para ver o grande espetáculo. Queriam ver o estado do homem, que apresentava pálido e com as costelas sobressalentes. Observavam de perto para ver se não tinha algum alimento escondido que comprovasse ser aquilo uma fraude, e até mantinhas vigias para fazer o controle do homem que se propunha a jejuar ao máximo de dias possíveis, que na obra era por volta de 40 dias, sendo lhe proibido pelo empresário de bater este recorde, mesmo ainda que o artista sentisse condições de permanecer por mais dias e semanas ali naquele jejuar sem lógica. Talvez o empresário tivesse o interesse de o espetáculo não esvaziar, e manter a acesa a expectativa de na próxima vez o homem poder bater seu recorde, e com isto, o espetáculo passava por várias cidades. O interesse pelo jejuar não tinha explicação, mas com o passar do tempo às pessoas o perderam em definitivo, e o seu sacrifício já não era mais aplaudido e reverenciado até pelos mais entusiastas – as crianças- que sempre ficaram perplexas.

Desta forma, o mártir, querendo recuperar sua fama, seguiu em frente ao romper com seu empresário que não concordava em deixá-lo bater o recorde de dias de jejum e também não via mais interesse nesta quebra. O artista, então, arrumou espaço num circo, e propôs quebrar o recorde, entretanto, competia com leões e outros animais, que naquela época já eram mais interessantes. A história traz um fim trágico, como em quase toda obra de Kafka, pois o jejuador morrer dentro de uma jaula pelo esquecimento de que estava ali; pois ninguém mais o dava atenção, e seu jejuar era visto como um nada. Retiram seu corpo da jaula e colocaram uma vistosa pantera,  que atrairá rapidamente a atenção das crianças que sempre foram os que mais se impressionaram.

Em relação aos dias de hoje, o livro pode ter uma leitura com o sucesso instantâneo que produz celebridades de momento, que muitas das vezes é efêmero, e que os seus detentores não aprendem a lidar com a sua falta. As pessoas se interessam muito pelo que estar em evidencia, por aquilo que a mídia divulga a exaustão, e não pelo artista em si, pelo espetáculo ou show, ou qualquer outro glamour, sendo manipuladas até que os veículos de divulgação esqueçam o “artista da fome” e busquem algo mais interessante com a pantera vistosa

Daí, os “jejuadores modernos”, que só sabem fazer determinados espetáculo e mais nada. No insucesso começam a apelar de todas as formas para se manter em evidencia. Alguns exemplos podem ser apontados como o caso de jogadores de futebol que se lançam na política, de atrizes e ex-modelos que viram atrizes pornográficas, e desta forma propõe que espetáculo deve continuar, porém se esquecem que a sua época passou, e em nenhum momento tiveram  o preparo para lidar com a efemeridade do sucesso que um dia alcançaram.
E mais uma vez pode-se notar perfeitamente que, Kafka, antecipou o que seria o homem moderno, a sociedade moderna, que quando manipulada vem  adorar alguém para depois nem sequer lembrar de sua figura. Longa vida aos escritos do gênio, que um dia pediu para que todos eles fossem queimados, pois talvez não queria alertar tudo que poderia vir a acontecer.


68 comentários:

Blog Lomadee disse...

Excelente texto, parabéns.

Blog Lomadee.

KGeo disse...

carácas essa obra é muito boa

Salete Corrêa disse...

E nós assistimos calados a esse shows todos os dias, no fim o efemero não é tão ruim, faz parte do ciclo, da renovação.
O problema como você disse é o despreparo de entender os acontecimentos e a percepção de não se agarrar ao que não existe mais.

Visite o meu: http://pontapedepartida.blogspot.com/

César disse...

Acho q todos deveriam ler seu post...muito bom.

mulherices disse...

O mais preocupante, em minha opinião, é a adoração por figuras que não representam / defendem sequer aquilo que se pensa, se é que os cultuadores pensam.

Adorei seu post. Fantástico.

Se tiver um tempinho, vá ao nosso canto.

Lílian Buzzetto do Mulherices.

Steffi de Castro disse...

Muito boa a sua postagem :)
A mídia ajuda muito, com certeza. O que existe de bons frutos por aí que infelizmente não são valorizados é um desperdício...

Jamile Fernanda disse...

Ótimo Texto!
Parabéns pelo Blog...

Leo Lago disse...

O texto eh realmente mto bom...
e sua analogia com nossa realidade foi melhor ainda.

Meus parabens!!

Gil disse...

Como estou aqui apenas pra dar minha opinião ao post num geral e não fazer correções de língua portuguesa...
Bom,achei bem interessante a alusão que usou do texto do Kafka,aos nossos dias atuais...
Quanto a isso vi bastante coerência.

free-blog-submit-linkexchange disse...

Good post
--
My blog is for blog submission and link exchange, Please submit ur blog on my blog for gain more traffic, that help us, just look at my blog first and you will know, how it works.
MY Blog is
http://free-blog-submit-linkexchange.blogspot.com/

Daniel Silva disse...

você é mesmo fã do kafka, hein. qual o melhor livro dele?

abraço

Iah-Hel disse...

Esses contos do Kafka deveriam ser apresentados aos ex-bigbrothers da vida hahaha Muito interessante o post. E q rapaz chato aí em cima, tudo bem apontar um erro de gramática e ortografia, mas até pra fazer isso, precisa de um pouco de carinho viu e menos rabugice rs

sosacaesosac disse...

legal seu blog '-'
curti!

abras

Entre e Confira o meu!

2 Brothers News! disse...

Não conheço as obras de Kafka, porém depois desse post fiquei curioso em conhecer e irei atrás.
Parabéns pelo blog!

Osrevelatti disse...

ja conhecia este conto

muito interessante

Francorebel disse...

Interessante e polêmic o texto, hein... valeu!

seuvicio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
poemandoavida disse...

Estás criando em mim a vontade de ler os livros de Kafka. Essa analogia aos tempos atuais é muito interessante e valeria muitos posts.

Anônimo disse...

Parabens pelo Post, muito inteligente, e pelo blog tbm, bem desenvolvido


www.ahistoriacomoelafoi.zip.net

Gustavo Des disse...

Adorei o ''review', rs. O livro desse tal Kafta deve ser muito bom. Vou procurar aqui na minha cidade. Parabéns por compartilhar obras desse nível conosco. Adorei o Blog, parabéns. Se puder visite o meu : www.depressaocolorida.blogspot.com

Gigi disse...

nossa, que legal.... Muito bom, mesmo. Apesar de fazer parte de nossa vida ultimamente essa realidade, eu adorei o tema abordado.

Gabriel Pozzi disse...

Kafka foi um cara interessante, mas nunca tive a oportunidade de ler uma obra do mesmo. Talvez por preguiça, ou por sempre me interessar em outra coisa quando tive a chance de conhecer alguma obra dele. Mas após esse texto fiquei com vontade de conhecer algo do Kafka, não necessariamente essa obra que vc muito bem narrou, mas qualquer outra que me desperte interesse.
E eu mal sabia que ele tinha pedido para que queimasse os escritos dele!
abraço!

http://songsweetsong.blogspot.com/

Lorena Caldeira Lemos disse...

Realmente. adorei *-*

Plugaaki disse...

não conhecia esse tal de "Kafka" otimo seu post!

Tania Montandon disse...

Também gosto muito do trabalho de Kafka, grande sofredor anti-social e doentil que conseguiu se superar sublimando todos os obstáculos em obras geniais de nos deixarem perplexos.

beijo

Walder Neto disse...

Gostei do texto, me surpreendi com a comparação com as celebridades de momento...

http://ilariamentefalando.blogspot.com

Macaco Pipi disse...

só de primeira aqui!

Neuro-Musical disse...

Texto bem interessante e bem estruturado. Tudo que vivemos, ouvimos, sentimos, faz parte de uma imensa industria cultural que só tende a crescer. É tudo comércio.

Hoje em dia você não faz música pela arte, você faz música por dinheiro. Muitas coisas perderam o real sentido nessa nossa sociedade moderna e eu posso afirmar que vivo na pior geração.

http://cerebro-musical.blogspot.com

Nayara disse...

é,belo texto ...
fikei ate cuirosa em saber mais sobre esse Kafka.

Ana disse...

Excelente post, ainda não tive a oportunidade de ler Kafka mas tenho vontade, esse post me instigou ainda mais.
O fato é que enquanto haja platéia, esses espetáculos continuaram ai, porque todos buscam o show para entreter, e como disse falta o conhecimento para lidar com eles.

Macaco Pipi disse...

ESSE É DOS MEUS!

Bob rootS (Os Botequeiros) disse...

bom textooo.

emanuelmoreiraav disse...

POWER CASH A ESCOLA DO DINHEIRO!
CONVIDO VOCE QUE ESTÁ A PROCURA DE UMA OPORTUNIDADE PARA MELHORAR A SUA QUALIDADE DE VIDA,A DE SUA FAMILIA E MUITO POSSIVELMENTE A DE TODOS A SUA VOLTA. APRESENTO A VOCES A POWERCASH,A POWERCASH ENSINA A VOCE TÉCNICAS DE NAVEGAÇÃO,EMPREENDEDORISMO DIGITAL,CRIACAO DE WEBSITES E MUITO MAIS!!!APRENDA JÁ A COMO GANHAR DINHEIRO PELA INTERNET SEM SAIR DE CASA!
E-MAIL:emanuel.moreiraav@hotmail.com
WLM/MSN:emanuel.moreiraav@hotmail.com
SKYPE:emanuel.moreiraav
http://blogs.abril.com.br/ganhedinheiroonline
"NÃO VÁ ATRÁS DAS BORBOLETAS,CUIDE DE SEU JARDIM QUE ELAS VIRÃO ATÉ VOCE"(MÁRIO QUINTANA)

by emanuel moreiraav

MB Galvão disse...

Franz Kafka é u autor rico e crítico, muita coisa dele me lembra Nietzche

Claudia Halley disse...

q isso, muito bom seu texto, lindo d +! Deu vontade de ler este livro....

Fabíola disse...

Oi. Boa tarde.

Uma amiga minha já falou sobre Kafka. No entanto, eu nunca li. Interessante ler seu texto e saber um pouco mais sobre a obra desse autor.

O sucesso me é algo bastante curioso. Por que será que algumas pessoas conseguem ser um mito, aclamadas pelo público e pela mídia e tempos depois ficam esquecidas. Por quê? E olha que eu nem estou falando de celebridades instantâneas de Realities shows. Estou falando de cantores que fizeram sucesso e hoje não conseguem mais alcançar o que foram um dia. A exemplo disso temos aquele cantor da década de 80 autor de um hit de muito sucesso chamado Menina Veneno, o Rotchie. Lembra? Pois é! Aquele cara só conseguiu gravar um único disco de sucesso que foi o que continha essa música. Os outros foram um fracasso.

Acredito que manter as pessoas sempre interessadas no seu "show" seja um dom.Talvez mais difícil do que fazer sucesso seja se manter fazendo sucesso. Sim porque as pessoas sempre se sentem atraídas pelo novo. No entanto, para manter as pessoas sempre interessadas, necessário se faz sempre inovar esse "novo" e isso nem todos sabem fazer porque ganhar dinheiro é uma arte além da arte. Se não fosse assim, boa parte das pessoas seriam ricas e famosas. Mais do que ter talento, necessário se faz ter uma mente empreendedora. Mentes empreendedoras sempre estão dispostas a inovar.

Há também o fator sorte. Olha para Grazi Massafera. Quantas ex BBBs conseguiram ter a mesma sorte como ela de sair de um BBB e se manter em evidência? Sim porque Grazi vai de vento em polpa. Prova disso são as diversas campanhas que ela estrela. Campanhas para grandes marcas inclusive. O que será que ela tem que as outras es BBBs não tem? Bem, vá saber... Eu diria que é...... um pouco de sorte.

Bom o sucesso ainda é uma coisa que me intriga muito.

Vamos para literatura. O que o Livro crepúsculo tem demais para fazer tanto sucesso? Eu não vejo nada. Não tô aqui riticando a autora do livro com aquela frase idiota que os metidos a literatos costumam repetir: isso não é literatura. Não! Eu só não consigo entender o porquê do estrondoso sucesso. Para mim, aquilo ali é uma história tão simples que eu acho pouco provável que não existam melhores.

Paulo Coelho: o que ele tem demais? Nada! Ele é só um escritor de mente empreendedora que escreve com o único propósuto de vender e, para isso, ele observa, procura saber o que é que a massa, boa parte das pessoas está querendo ler e chega à conclusão de que não é literatura. Daí tornar-se inócua aquela frase imbecil dos metidos a entendidos em alguma coisa: Paulo Coelho não é literatura. Sim, quem disse que ele quer fazer literatura? Vou além: quem disse que o público dele quer ler literatura? Não quer. Eles querem ler algo que dê alento a alma deles. Já percebeu que os livros de Paulo Coelho, geralmente, são uma auto-ajuda disfarçada? Pois é! Vende que nem água. Ele escreve faz tempo. Mas faz sucesso até hoje. Não é o tipo do autor que é conhecido por uma única obra.

Ai, sucesso que me fascina, que me enlouquece, que me estonteia e, acima de tudo, me intriga!

Tchau!

Vc curte rock? disse...

Ainda existem esse "Artistas da Fome"... Infelismente, a fome ainda é uma realidade.

E a hipocrisia social também!

Wendy disse...

parabéns pelo blog, adorei :)

Vc curte rock? disse...

A fome é o pior terrorismo que uma nação possa sofrer!!!!

abraço

Macaco Pipi disse...

ninguem faz nadaaaa
o descaso condena

Jonatas Fróes disse...

A comparação com os dias de hoje é bastante coerente. Nossas subcelebridades e "onehitwonders" são os novos jejuadores. Interessantes em um minuto, e no outro completamente esquecíveis. Gostei!

;*

http://musikaholic.wordpress.com/

william disse...

Gostei das com comparações, texto òtimo Parabéns

CAMYS disse...

Já ouvi falar muito de Kafka, mas foi aqui a primeira vez que li algo referente a ele. Interessante.

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Anônimo disse...

Muito bom. A fábula em si corresponde mais ou menos aos escandalos de mídia,como o caso Bruno.As pessoas se precisar pagam para ver até onde vai a mesquinhez e miséria humana.

Fábio Zen

Murilo ZD disse...

a reflexão que fez a respeito do livro é excelente ao passo de que é o que mais vemos hoje em dia.. os grandes sucessos da última semana amanhã são os fracassados da broadway..o sucesso é realmente efêmero atualmente.. precisa-se ter um prestígio muito grande para se manter de pé e conquistar um espaço.. e é um fato.. essas pessoas não preparam-se para o dia que isso tudo acabar.. e têm a prepotência de continuarem, mesmo que sem lógica, crendo no sucesso "eterno".

ITSMEKARLLA disse...

eitcha massa, gostei.

Pobre esponja disse...

Esse conto é um clássico. Todo artista real, é um artista da fome. Minha leitura deste conto foi que ele fazia aquilo por amor ao espetáculo, mas nunca teria esse sentimenento compreendido.

abç
Pobre Esponja

pisovelho.com.br disse...

É o mundo das celebridades.

Diva 30 Anos disse...

ficar famoso é fácil... fazer trabalho relevante o suficiente pra se manter.. isso é difícil.

Caroline disse...

Quase um Big Brother rústico, em seus primórdios. Como podemos ver, a sociedade sempre se regozijou com aquilo que ela não suportaria passar na própria pele.

@StaffDorgs disse...

Ótimo texto...devemos analisar ele e refletir nas nossas atitudes...percebo a cada dia mais com textos como esse que a humanidade está indo para um buraco negro.

kbritovb disse...

bah nunca tinha ouvido falar dessa história e confesso que gostei

Ítalo Richard disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Richard disse...

Excelente texto.Acho o Kafka impressionante com suas metáforas, li "A Metamorfose" e é surreal, o cara é um gênio.

www.todososouvidos.blogspot.com

Yaser Yusuf disse...

Belo Texto...muito incentivador!
Adorei a forma que tratou o assunto!
Com responsabilidade e integridade!
Seguindo seu blog!
Boa semana!
http://yaseryusuf.blogspot.com/

juscelino Filho disse...

è verdade , era uma antecipação do que vemos Hoje muito boa a reflexão , vou provurar saber mais sobre esse Franz.

Vestibulando disse...

Parabéns pelo blog e texto, realmente está ótimo.

Muito boa a obra

cacau disse...

No começo fiquei pensando 'mas que imbecis, jejuavam por nada', e no final me dou conta que acontece o mesmo nos dias de hoje.
Jejuamos para sermos aplaudidos por nossa "beleza e boa forma".
Parabéns pelo blog

Suzy Carvalho disse...

putzz!

mto bom o post. algumas coisas da antiguidade sao tao estranhas e as quem faz tbm, e algumas nao se tem mto sentido.

Guilherme Lombardi disse...

Kafka foi um gênio, pesadelo kafkiano é o que mais gosto da obra dele.

Ingrid Ellen disse...

Gostei do blog. Parabéns! :)

http://ie-ingridellen.blogspot.com

Tati disse...

Sobre o que nos faz parte: o efêmero se fez necessário. A ignorância se fez piada. A [má] condição se fez consequência. A educação, luxo. O livro de autoajuda, necessidade. O mais do mesmo, cotidiano... o "artista da fome" de Kafka pode sim ser metáfora dos nossos valores.

Sobre seu blog: coisa boa demais de ler!

mulherices disse...

Parabéns pela postagem!

Bacana.

Abraço.

Vanessa Pinho

pdguler disse...

muito bom, gostei bastante

Carlos Alberto Mota Candreva disse...

Belo texto, os artistas atuais não sabem aproveitar o sucesso que têm ou tiveram, acabam saturando a todos e se tornam inimigos públicos. Como você disse, tentam ser políticos e alguns até se tornam astros de filmes pornográficos. Chega ser lamentável essa decadência...

http://www.wowiniciantes.co.cc/

Rafaella disse...

UOU!!!!!VC ESCREVE MTO BEM PARABENS

ibere disse...

acho que seu blog bateu o record de comentarios, puxa!!!

bom vamos ao que interessa, gostei dos temas que trata, inclusive voltando ao kafka em dois ou tres postagens, um escritor que gosto bastante. alias os tchecos em geral são bons escritores talvez pela época aurea intelectualmente que praga viveu há cerca de um seculo atras!

tENHO SUGESTOES DE LEITURA PRA VOCE:
Karel Capek, um tcheco que escreveu distopias como a guerra das salamandras;
leia o texto a dieta ( the diet) em que woody allen faz uma excelente parodia de kafka;
sugiro o que é justiça de hans kelsen ( esqueça teoria pura, esse é bem filosofico)
Logicomix- uma aporximação da matematica e da filosofia em quadrinhos, uma olbra que está dando o que falar...
se tiver um tempinho passa la no meu blog...rsss
um abraço e continue seu trabalho
Ibere

Tania Montandon disse...

Bom, lembra a piada do general que treinava seu cavalo a suportar cada vez por mais tempo a fome a fim de que tornasse mais resistente. Quando ele estava pra quebrar o recorde, morreu de fome.